A segurança que um imóvel traz

Postado em: 18/05/2020 13:35

Fonte: www.infomoney.com.br

A segurança que um imóvel traz

Se deseja proteger os seus recursos e garantir ganhos em longo prazo, os imóveis surgem como uma das principais opções para enfrentar os tempos de crise


O surpreendente e veloz efeito das contaminações pelo novo coronavírus pelo mundo causaram impactos por todos os setores. No mercado de imóveis, houve uma repentina diminuição do número de lançamentos de empreendimentos e obras em preparação entraram em compasso de espera. Mas, para o investidor, optar pela compra de um imóvel neste momento pode ser uma das melhores opções.

Investir em imóveis

Sem os riscos e a volatilidade da renda variável, esse tipo de ativo combina segurança e capacidade de valorização de longo prazo, prometendo rentabilidade superior à renda fixa, que pode perder para a inflação agora que a taxa de juros Selic está na casa dos 3%. “Sempre vai existir uma demanda por imóveis. Ele é historicamente um dos investimentos mais estáveis”, diz Cyro Naufeldiretor da consultoria de imóveis Lopes. “As pessoas vão continuar casando, se separando, mudando de casa e tendo filhos. A demanda é constante.” 

Isso tem uma importância maior num país como o Brasil, com suas diversas instabilidades econômicas e políticas, e que ao mesmo tempo conta com enorme déficit habitacional. São fatores que garantem uma valorização perene aos imóveis, não encontrada em outros ativos financeiros.

Proteção de patrimônio. 

Segundo o estudo Global Wealth Report de 2019, realizado pelo Credit Suisse, historicamente o investimento em imóvel acabou sendo no País uma das melhores formas de proteção de patrimônio para enfrentar períodos de inflação e de muitas incertezas, como as que marcaram os últimos anos. O imóvel é um investimento tangível que mantém o seu valor, mesmo em crises mais agudas. Até por isso, o setor acredita que mais investidores vão se dirigir a essas escolhas no momento.

Alguns fatores incentivam essa tendência.

Por exemplo, a proteção contra a inflação continua sendo importante, mesmo em períodos de aumento de preços menores do que no passado. E esse investimento traz isso. As parcelas pagas pelo comprador do imóvel é corrigida pelo INCC, o índice nacional de custo de construção do mercado. Já quem opta por alugar o seu imóvel pode ganhar em torno de 0,5% ou 0,6% ao mês, ao mesmo tempo que os valores são ajustados pelo IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado). Isso garante um rendimento protegido da inflação e que pode ficar em torno dos 6% ou 7% ao ano. Trata-se de um ganho importante em comparação com os fundos e títulos vinculados à Selic, que correm o risco de renderem abaixo do aumento da inflação, neste ano.

Momento certo

Crises também podem ser oportunidades. Para o investidor, boas opções de compras surgem em momentos como o atual, em que proprietários e incorporadoras estão colocando imóveis à venda com condições especiais. A taxa Selic mais baixa também facilita tomar crédito de forma menos custosa. Desde o início da crise, a Caixa Econômica Federal tem promovido diversas medidas para diminuir o impacto da epidemia no setor imobiliário. Ela já anunciou R$ 154 bilhões em ajuda para bancar a atividade desse mercado e em linhas de crédito para financiar construções. Houve também redução de taxas de juros. Além disso, pessoas e empresas poderão adiar parcelas de financiamento por três meses e antecipar recebimento de recursos.

Todos esses fatores fazem do imóvel um investimento – desde que feito com a segurança da fonte de renda garantida para os próximos anos – dos mais confiáveis e de grande oportunidade para o momento.

Fonte: www.infomoney.com.br

Veja Também